sábado, 7 de março de 2009

No mundo da lua





"Alô! Alô! Alô! Alô! Planeta Terra chamando, planeta Terra chamando. Esta é mais uma edição do diário de bordo de Lucas Silva e Silva, falando diretamente do mundo da lua, onde tuuuuuudo pode acontecer..."

Este era o ponto ápice do programa
Mundo da Lua. Quando Lucas usava o gravador dado pelo seu avô para fugir do território adulto e imergir nas suas próprias fantasias, tudo se tornava mais divertido.

Não sabia nem me lembrava que o seriado também tinha ido ao ar como uma atração do
Xou da Xuxa. Eu, longe de me render à falta de opção e a todas essas apresentadoras infantis medonhas da época, sempre o acompanhei pela TV Cultura que, atualmente e infelizmente, não anda bem das pernas quando o assunto é produção infantil de qualidade.

Num período de tanta escassez criativa, ou, simplesmente, a entrega ao desejo voraz de fabricar atrações somente com o interesse de vender e vender,
Mundo da Lua fulgura como clássico, que tem a atenção dos fãs até hoje.

O programa era simples, sem maiores apelos, tinha uma narrativa leve e conseguia traçar exatamente o perfil da criança/pré-adolescente que vive essa fase imaginativa, onde tudo é possível, basta apenas um incentivo. Fazia isso de forma natural, sem tratar o telespectador, seja quem fosse, como um débil mental, como acontece comumente hoje. Não foi só a gente que cresceu, são os programas infantis de hoje que se tornaram imbecis mesmo.

Como se fosse Clark Kent quando entra na cabine telefônica, Lucas corria para o quarto para acionar o gravador velho que, em meio a luzes e estalos, o transportava para o mundo da Lua. Tornava-se uma espécie de super-herói para ele mesmo, às vezes, meio às avessas. Nesse mundo de fantasia, ganhavam vida as histórias mais improváveis.

Outra coisa legal era o elenco competente. Todo mundo fazia bem o seu papel. Tinha a divertida Rosa, a empregada que conversava com o rádio, os primos e amigos do Lucas que sempre iam visitá-lo com alguma novidade, os tios transbordando mimos, a irmã birrenta, o pai atarefado e o avô, responsável pelo gravador. Estes dois últimos, interpretados respectivamente por Antônio Fagundes e Gianfrancesco Guarnieri, atores cedidos pela Rede Globo. E como o Guarnieri me passava aquela imagem do avô perfeito para se ter.


Os episódios ainda são exibidos, de segunda à domingo, pela TV Rá Tim Bum, às 23h30.


3 comentários:

Márcia ... disse...

Adorava os episódios dessa série, pena que ta passando tão tarde !!
Isso é que era programação infantil e de qualidade (não só infantil).
Parabéns pelo blog, vc escreve muito bem!!!

Igres Leandro disse...

Com certeza, Márcia. Os mais velhos podem assistir sem problema também. Obrigado pelo elogio.

Beijos!

irinha_cherry disse...

Foi o melhor se não único programa que marccou de verdade pra mim, até hj e assisto. Acho que não é a tv cultura que não sabe mais fazer os programas ig, é que as crianças de hj em dia não pensa mais e nem a imaginação tão inocente quanto a nossa nesse tempo =/ infilezmente.
Aqui é sempre muito bom (y) ^^.
Beijos